Gostar de Fazer Provas é Normal?

Tenho um hobbie que pode soar incomum. Gosto de fazer provas, principalmente quando as faço sem medo, sem expectativas de tirar uma boa nota. Gosto de fazê-las quando é por pura e simples diversão. Mês passado, o Brasil inteiro deparou-se com uma novidade: mudanças na elaboração do Enem – Exame Nacional do Ensino Médio. De antigas 63 questões e uma dissertação, agora teremos 200 questões, dois dias de prova e uma dissertação. Muito se discutiu sobre o assunto, e agora já é, inclusive, oficial a mudança do nosso querido exame.

O novo Enem será valido como processo seletivo das universidades federais, processo que pode facilitar o ingresso de mais estudantes do ensino médio ao ensino superior. Mas será que estamos preparados para mudanças tão imediatas?

Em abril a medida foi aprovada e já em outubro teremos o novo Enem. Estudantes ficaram aterrorizados com a ideia de não saberem como fazer a prova, já que estará mais apurada e complexa. Poderiam ser chamados de verdadeiros estudantes?

O objetivo do novo Enem é acabar com a ideia de que é preciso decorar os conteúdos para obter bons resultados nas provas de vestibulares. A nova proposta coloca em cheque a capacidade intelectual dos estudantes brasileiros, afinal, quem aprendeu o conteúdo saberá responder as questões, independentemente da maneira que elas se apresentem.

Você pode realizar as inscrições Enem de forma online, informando todos os dados necessários e realizando o pagamento da taxa você já estará fazendo parte do exame.

Em outubro, teremos um novo rumo para a educação brasileira. Quem sabe assim os estudantes, incluindo a mim, saibam como realmente se deve estudar: sem decorebas.  Embora um grande professor de Literatura, Roberto Juliano, com quem tive a oportunidade de aprender muitas coisas, defenda que decorar nunca arrancou pedaço de ninguém. Ele, inclusive, decorou muita coisa do que sabe.

Vamos esperar e ver o que vai acontecer. Enquanto isso, continuarei com meu incomum hobbie de prestar provas.