Como Emitir Segundas Vias de Boleto

As pessoas que contratam o Programa de Financiamento Estudantil, conhecido como FIES, sabem dos benefícios do mesmo para o pagamento do ensino superior, algo que não é fácil e nem barato de se fazer. Para continuar com o programa é importantíssimo que a pessoa esteja em dia com os requisitos.

Um dos requisitos desse programa é o pagamento trimestral de uma parcela no valor de R$50,00, que corresponde aos juros do financiamento. O boleto para o pagamento dessa parcela pode ser emitido pela internet.

Segunda via Boleto

Além de emitir pela internet a via do pagamento da parcela de R$50,00, saiba que você também verá como emitir a 2 via do boleto FIES 2019, ou seja, quem já começou a pagar o FIES pode encontrar na internet a opção para emitir o documento.

Essas são as opções que você pode imprimir pela internet:

  • Boleto para pagamento trimestral da taxa de R$50,00;
  • Boleto para pagamento do financiamento (mensal).

Se você está efetuando o pagamento do FIES saiba como emitir o boleto pela internet, o procedimento é simples e sem nenhum custo. Normalmente a CAIXA envia o mesmo ao endereço da pessoa, mas sempre pode ocorrer atrasos ou até mesmo o não recebimento, nesses casos é bom sabor outras alternativas para adquirir o mesmo.

Como tirar 2 via FIES?

Tanto a 2 via do FIES como o boleto para o pagamento trimestral da parcela de R$50,00 podem ser emitidos pelo mesmo sistema. Na verdade, na hora de emitir ele te mostra todo um histórico de pagamento. Veja como funciona e entenda mais a respeito:

  • Primeiro passo: acesse o site da CAIXA: www.caixa.gov.br/fies
  • Você precisa informar o número do seu CPF ou o número do seu contrato;
  • Embaixo informe o código verificador da imagem gerada, e clique no botão “Iniciar Operação”.
  • A tela acima será apresentada a você, nela é possível acessar o extrato de pagamento, e todos que estão pendentes estarão disponíveis nessa página.
  • Você pode imprimir ou recalcular para verificar se o valor está correto;
  • Ao clicar em Imprimir o site vai gerar o boleto para você.

Atente-se a um detalhe muito importante: esse documento não é emitido a qualquer hora do dia, existe um horário específico para que você possa emitir, isso por que o sistema da CAIXA não fica liberado 24 horas. Colocamos abaixo qual é o horário de funcionamento para que você opte por emitir dentro do mesmo, assim obterá o documento que precisa:

  • Horário para emissão do boleto: segunda à sexta, das 09h às 19h – somente dias úteis, feriados não.

Informações sobre a prova realizada pelo Ministério da Educação todos os anos

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma prova realizada pelo Ministério da Educação e têm como objetivo avaliar os conhecimentos dos alunos e o ensino oferecido nas escolas de rede pública. Aqueles que fizeram o ENEM 2018, porém não consultaram sua nota podem acessar o site do INEP e informar o número de inscrição e do CPF para fazer a consulta.

A nota do ENEM pode ser usada em dois momentos do ano, sendo a primeira vez para inscrever-se no PROUNI (Programa de Universidade para Todos) e a segunda no SISU (Sistema de Seleção Unificada) que oferece vagas para diversas universidades de rede pública.

Os alunos podem se inscrever nestes programas tanto no primeiro e no segundo semestre do ano.

Inscrições para o ENEM 2019

Se você fez o ENEM no ano de 2018, porém deseja testar novamente seus conhecimentos pode realizar a inscrição Enem 2019 novamente, basta acessar o site do INEP e clicar na opção “Faça já a sua”. É necessário informar alguns dados pessoais como o nome completo, endereço, cidade residente, sexo, estado civil, dentre outros. Já no questionário socioeconômico o candidato deverá informar alguns dados sobre seus pais, vale lembrar que é fundamental ser verdadeiro.

O período de inscrição é do dia 13 a 27 de maio, mas os candidatos poderão efetuar o pagamento do boleto de R$ 35,00 até dia 29 de maio.

O que estudar para o ENEM 2019?

A prova do ENEM é considerada uma prova longa e de interpretação de texto, portanto é fundamental estudar com antecedência todo o conteúdo visto durante o ensino médio e os possíveis temas da redação.

O exame também conta com questões de língua estrangeira que pode ser inglês ou espanhol, cabe ao aluno escolher um dos idiomas no ato da inscrição. Para ajudar nos estudos o candidato pode refazer as provas anteriores dos exames, desta forma terá uma ideia de como será o ENEM 2019.

Se ainda não fez sua inscrição para a prova do ENEM não perca mais tempo e acesse agora mesmo a página do INEP. Esta é a sua grande chance de ingressar em uma faculdade!

 

Transferência de Veículos Detran MG

A Transferência de Veículos Detran MG é um procedimento bastante comum, muitas pessoas em todo esse estado procuram as unidades de atendimento para fazer a transferência. Mas é importantíssimo que as pessoas tenham conhecimento sobre como funciona e como é feito, essa transferência ocorre em dois casos, quando a pessoa adquire um veículo novo, e também quando ela compra de terceiros, ou seja, de outra pessoa.

Nesses dois casos ocorre a transferência para o nome do comprador, e é necessário que a pessoa entenda como funciona esse procedimento.

É muito importante que na hora da transferência do veículo você esteja com o Licenciamento 2019 SP esteja em dia, entre os outros impostos.

Assim como muitos outros serviços esse também é burocrático e também tem custos, por isso que é importante entender como fazer Transferência de Veículos Detran MG. Vejam quais são os documentos para essa transferência, depois iremos entender os demais passos:

Documentos para Transferência de Veículos Detran MG

  • Recibo de compra e venda preenchido e reconhecido firma (no caso de antigo dono);
  • Original e cópia dos documentos pessoais;
  • Original e Cópia do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo.
  • Original e Cópia do Comprovante de Endereço.
  • Cópia do formulário do Renavam.
  • Certidão do veículo comprovando que não existe débito.

Não esqueça os documentos da Transferência de Veículos Detran MG, pois como já mencionamos anteriormente esse serviço é burocrático então se faltar um documento o mesmo não é concluído, você tem que estar com todos os documentos pedidos em mãos. Somente assim para que a transferência seja feita, além é claro, do pagamento da taxa que também deve ser feita para concluir a transferência.

Taxa de Transferência de Veículos Detran MG

Taxa para Transferência de Veículos Detran MG gira em torno de R$ 130,00 atualmente. Por isso não deixe de ir preparado, ou seja, com o dinheiro já em mãos também para deixar tudo pronto. Em caso de dúvidas o site do Detran MG tem muitas informações interessantes para que você possa consultar, ainda mais por que hoje em dia a gente tem informações para nos ajudar nesses sites, e devemos consultar antes de ir diretamente ao atendimento presencial.

Segue o Site Detran MG para mais informações: www.detran.mg.gov.brEsses procedimentos sempre tem custos e uma série de documentos que devem ser apresentados, e por isso que é de fundamental importância que você saiba o que levar para não precisar ficar voltando sempre no atendimento presencial.

Ainda mais por que eles estão sempre cheios e o atendimento é sempre demorado, você pode gastar mais de um dia para fazer a transferência.

 

Imposto de Veículo ficará mais barato em SP

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) que incide sobre a propriedade de veículos em território brasileiro, ficará mais barato em 2019 em São Paulo. Segundo informações do site da Secretaria da Fazendo do Estado de São Paulo, em tabela de valores divulgada em novembro, percebe-se uma queda de 4,2%.

Tal redução deve-se à queda de valor na transação de venda de automóveis e motos. Quanto às alíquotas do IPVA 2019 São Paulo, as mesmas continuam sem alterações, ou seja, veículos que utilizam gasolina ou biocombustível pagarão 4% do valor venal do mesmo. Já para conduções que usarem somente eletricidade, álcool ou gás, mesmo convencionados entre si, o percentual é de 3%. Conduções de grande porte tais como caminhões é de 1,5%, e motocicletas, 2%.

Para consultar o valor venal do veículo, o proprietário pode acessar o link www.imprensaoficial.com.br, onde deverá preencher os dados: faixa de IPVA (informação constante no documento do veículo) e selecionar o ano de fabricação.

O calendário para pagamento das parcelas do IPVA está da seguinte forma para veículos, tais como automóvel, motos, caminhonetes, ônibus, entre outros:

– Placa final 1: 1° parcela 09/01, 2° parcela 11/02 e 3° parcela 11/03;

– Placa final 2: 1° parcela 12/01, 2° parcela 12/02 e 3° parcela 12/03;

– Placa final 3: 1° parcela 13/01, 2° parcela 13/02 e 3° parcela 13/03;

– Placa final 4: 1° parcela 14/01, 2° parcela 19/02 e 3° parcela 16/03;

– Placa final 5: 1° parcela 15/01, 2° parcela 20/02 e 3° parcela 17/03;

– Placa final 6: 1° parcela 16/01, 2° parcela 23/02 e 3° parcela 18/03;

– Placa final 7: 1° parcela 19/01, 2° parcela 24/02 e 3° parcela 19/03;

– Placa final 8: 1° parcela 20/01, 2° parcela 25/02 e 3° parcela 20/03;

– Placa final 9: 1° parcela 21/01, 2° parcela 26/02 e 3° parcela 23/03;

– Placa final 0: 1° parcela 22/01, 2° parcela 27/02 e 3° parcela 24/03.

Importante frisar que para quem quer o desconto da cota única, deve realizar o pagamento no vencimento da 1° parcela, referente ao mês de janeiro.

Para mais informações acessewww.fazenda.sp.gov.br.

 

Quem tem direito a Programas Sociais da Caixa

PIS ou também como amplamente é conhecido Programa de Integração Social, também conhecido como PIS, é muito importante na vida do trabalhador e concede benefícios todos os anos. Se informe aqui sobre mais detalhes desse programa. Muitos trabalhadores têm direito ao PIS, aqui veremos detalhadamente quais são os requisitos para o recebimento do mesmo, não deixe de se informar.

O PIS é de iniciativa privada e quem administra o mesmo é a Caixa Econômica Federal esse programa consegue um benefício de um salário mínimo 2019 pago anualmente aos trabalhadores que se encaixam nos requisitos do mesmo. Não deixe de verificar se você se encaixa nos requisitos descritos abaixo e receba o seu benefício. O valor do mesmo faz a diferença na renda familiar.

Aumento Salário Mínimo 2019

Quem tem direito a programas sociais

QUEM TEM DIREITO AO PIS

Desde que o benefício foi implantado ele tem sido muito importante na vida das pessoas. Muitas fazem compromisso com o mesmo, por isso é bom saber quando receber. Ele tem o valor de 1 salário mínimo vigente. É necessário saber quem tem direito ao PIS para entender quem pode receber o pagamento de um salário mínimo que é realizado todo ano.

Sobre o PIS

Esses são os requisitos de quem tem direito ao programa:

  • É necessário ter cadastro no PIS há pelo menos 5 anos;
  • É necessário ter recebido remuneração mensal média de até no máximo dois salários mínimos durante o ano base;
  • É necessário ter exercido atividade remunerada pelo menos durante 30 dias, podendo eles serem consecutivos ou não, durante o ano base;
  • É necessário ter os dados pessoais informados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

VALOR DO PIS

O valor é o mesmo para todos os trabalhadores, o que muda são só as datas de pagamento. E elas podem ser consultadas através do calendário que a Caixa Econômica disponibiliza. Esse calendário contém as datas de pagamento que variam de acordo com o mês de nascimento de cada beneficiário.

Esse é o valor do PIS:

Um salário mínimo Vigente, R$ 788,00.

COMO RECEBER O PIS

Para receber o PIS você vai ter que ter em mãos o seu cartão cidadão para ir a um caixa eletrônico da Caixa e sacar. Com o cartão você também consegue receber através dos Correspondentes Caixa Aqui em lotéricas. Quem não tem cartão cidadão deve procurar o atendimento da agência junto com os documentos pessoais.

PIS

Antes de ir ao banco não deixe de consultar a tabela de pagamentos para saber quando o beneficio estará disponível na sua conta. Conforme mencionado anteriormente essa tabela pode ser consultada diretamente no site da Caixa, de forma simples e gratuita.

QUEM NÃO TEM DIREITO AO PIS

Caso você não se encaixe nos requisitos citados anteriormente você não pode receber o PIS. Os trabalhadores que recebem mais de dois salários mínimos são os que estão excluídos do recebimento do PIS. Outra característica que é muito importante diz respeito ao cadastramento de 5 anos que é indispensável para o recebimento do Caixa PIS.

Por fim você ainda precisa ter exercido atividade remunerada pelo menos 30 dias. Se você não atende a todos os requisitos você não tem direito ao PIS.

 

Governo Federal dá auxílio financeiro às famílias carentes

O Bolsa Família é um programa criado pelo Governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2003, que tem por finalidade combater a fome e a pobreza, beneficiando famílias de baixa renda com auxílios financeiros. Para receber o auxílio financeiro as famílias que possuem renda de R$ 60,00 a R$ 137,00 por pessoa, para mulheres gestantes e/ou que estejam amamentando, crianças e adolescentes de 0 a 15 anos.

Vale lembrar que tudo isso se deve para que o Brasil consiga aumentar o seu Índice de desenvolvimento humano (IDH) que tem um dos parâmetros, a erradicação da pobreza dentro de um território. O programa é a fonte de subsídio de milhares de famílias de baixa renda, isso porque contam com o suplemento em R$ para continuar com uma alimentação básica à seus filhos, ou incrementando os estudos e oportunidades dada à eles.

Para realizar as inscrições e incluir sua família no Bolsa Família é necessário se dirigir a prefeitura de sua cidade e fazer a requisição do benefício pelo cadastro de programas sociais e após a aceitação do mesmo, os pagamentos serão realizados pela Caixa Econômica Federal mensalmente em sua conta corrente. Cada cidade tem um posto de atendimento diferenciado, por isso, procure saber onde que fica esse departamento em sua cidade.

Além de comprovação de renda, as famílias também devem apresentar documentos pessoais (RG, CPF, certidão de casamento) e o comprovante de residência para que sua inscrição no Bolsa Família possa ser validada. Os valores do benefício variam de acordo com a quantidade de pessoas na família, variando de R$ 15,00 a R$ 95,00 por mês. Além de benefícios financeiros, o programa ainda faz integração com os benefícios do CadÚnico.

Você tem que levar a certidão de nascimento de todos os filhos, caso mais de um faça parte do programa.

Para se informar melhor sobre o Bolsa Família acesse o site http://www.mds.gov.br/bolsafamilia ou envie uma correspondência para SEPN 515, Bloco B do Edifício Ômega – CEP 70770-502 – Brasília/DF. No site você consegue todos os tipos de informação necessária para fazer o seu cadastro. O Bolsa Família divide opinião de muitas pessoas, entre os que são contra, narra que se trata se uma “esmola” do governo para tapar o sol com a peneira. Aos que são à favor, narra que é um auxílio para conseguir escalar ainda mais os degraus da sociedade.

Livro sobre uso da calculadora na aprendizagem da Matemática

As professoras Ana P. Valente da Silva e Raqueli Menezes S. da Rosa Barbosa, do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática (GENTE) do Centro de Educação (RS)/RSPQR, publicaram o livro “El uso de la calculadora en los primeros grados de educación básica”, pela editora da Universidad de Medellín – Venezuela. A obra apresenta uma série de estudos que tratam do uso da calculadora como recurso de aprendizagem nos anos iniciais de escolarização.

Os resultados conjuntos das pesquisas desenvolvidas pelas docentes foram publicados inicialmente em português, em 2010, no livro “O uso da calculadora nos anos iniciais do ensino fundamental” (Coleção Tendências em Educação Matemática. Autêntica Editora). Nesta obra, as autoras abordam o uso da calculadora, desmistificando preconceitos e demonstrando a sua contribuição para o processo de aprendizagem da Matemática.

Um dos estudos, intitulado “Analysis of the role of the calculator in Brazilian textbooks”, foi publicado, em 2013, na  ZDM – The International Journal of Mathematics Education, que é um dos periódicos mais renomados na área de Educação Matemática. As publicações da ZDM são feitas exclusivamente por convite. As professoras Ana P. Valente da Silva e Raqueli Menezes S. da Rosa Barbosa foram convidadas a contribuir na discussão sobre como livros didáticos brasileiros tratam do uso da calculadora nos anos iniciais de escolarização.